Áudio sobre paralisação de caminhoneiros em MT na terça-feira é fake news, diz presidente de sindicato

Nas mensagens que viralizaram, supostos caminhoneiros afirmam que vão paralisar as atividades em protesto ao fechamento do comércio em Mato Grosso devido à pandemia de coronavírus.

Fake news — Foto: Divulgação

O presidente do Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas de Mato Grosso, Eleus Amorim, afirmou que as mensagens que têm circulado em grupos de WhatsApp quanto à paralisação dos caminhoneiros a partir desta terça-feira (7) não procede.

Nas mensagens que viralizaram, supostos caminhoneiros afirmam que vão paralisar as atividades em protesto ao fechamento do comércio em Mato Grosso devido à pandemia de coronavírus.

“Por parte das empresas não existe nenhum tipo de paralisação programada. Muito pelo contrário. Nesse momento nós sabemos da nossa obrigação como entidade representativa, como representante do setor de transporte rodoviário e todas as empresas de transporte rodoviário de cargas irão manter sua atividade normalmente. Não podemos falar pelos autônomos, pessoas que têm um ou dois caminhões e que rodam conforme quiserem. Da nossa parte, como empresas, nós iremos trabalhar normalmente. Vou inclusive encaminhar os áudios que recebi para o superintendente da Polícia Rodoviária Federal (PRF)”, Eleus Amorim, presidente do Sindicato das Transportadoras de Mato Grosso.

Fonte: https://g1.globo.com/mt/mato-grosso/noticia/2020/04/05/audio-sobre-paralisacao-de-caminhoneiros-em-mt-na-terca-feira-e-fake-news-diz-presidente-de-sindicato.ghtml

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Next Post

Colégios e Faculdades particulares de MT poderão ter que reduzir mensalidade durante pandemia

seg abr 6 , 2020
A deputada estadual Janaina Riva (MDB) apresentou um projeto de lei que, se aprovado, vai obrigar instituições de ensino fundamental, médio e superior da rede privada em Mato Grosso a reduzirem a suas mensalidades durante o período que durar o plano de contingência do Estado, em virtude do COVID-19. A proposta […]