Confira como fica o clima nesta segunda e terça-feira

Sul

Segunda-feira, 9

Na segunda-feira, a condição de tempo firme volta a predominar em praticamente toda a região devido a massa de ar seco. Já não tem mais potencial de chuva entre o norte gaúcho e o sul do Paraná.

Dessa vez, a chuva deve acontecer de forma muito mais isolada, no extremo sul gaúcho devido a aproximação de uma nova frente fria, mas que não conseguirá avançar pela região trazendo alívio devido à estiagem.  O tempo seco e quente ainda vai continuar especialmente no Rio Grande do Sul, o número de focos de queimadas pode aumentar nos próximos dias.

Terça-feira, 10


Na terça-feira pouca coisa muda, a chuva isolada ainda pode acontecer no sul gaúcho devido instabilidades mais próximas. A chuva não deve ser volumosa, mas pode vir acompanhada por trovoadas e ventos de 50km/h. Enquanto isso, nas demais áreas da região, nada de chuva, mais um dia de sol, pouca presença de nebulosidade e calor intenso.

Atenção aos baixos índices de umidade relativa do ar. Nos próximos dias, o tempo seco e quente ainda deve chamar a atenção no Sul do Brasil de modo geral. A tendência é de chuva retornando especialmente ao Rio Grande do Sul que vem sofrendo mais com a estiagem, apenas na segunda metade do mês de março, e ainda sem uma regularidade e um volume capaz de reverter o déficit hídrico, ou seja, a preocupação ainda será mantida.
 

Sudeste 

Segunda-feira, 9

Na segunda-feira pouca coisa muda no Sudeste e ainda chove especialmente no norte de Minas Gerais e no norte do Espírito Santo, onde aliás, ainda tem muita presença de nebulosidade. Os volumes mais significativos devem ser registrados em áreas de divisa com a Bahia devido a atuação da frente fria na costa.

Enquanto isso, pancadas rápidas e isoladas se espalham pelo centro-sul mineiro, boa parte de São Paulo e pelo Rio de Janeiro. A chuva não deve ser volumosa, mas desta vez, o risco para temporais vai para o estado fluminense e a Zona da Mata Mineira devido ao avanço das instabilidades em altos níveis da atmosfera.

A chuva vem sem grandes volumes, mas pode vir com trovoadas, ventos e eventual queda de granizo. Por outro lado, vale ressaltar que o tempo firme volta a predominar em boa parte do interior paulista.

Terça-feira, 10

Na terça-feira ainda chove sobre a maior parte da região Sudeste, mesmo que de forma rápida, intercalada com períodos de melhoria. Na terça-feira, o risco de temporais já diminui no Sudeste, a chuva não deve trazer grande preocupação. Por outro lado, mais um dia de céu mais carregado, com possibilidade de chuva a qualquer momento entre o norte do Espírito Santo e o norte de Minas Gerais, onde os volumes ainda podem ser significativos.

A tendência para os próximos dias ainda é de chuva em boa parte do Sudeste, especialmente no norte de Minas Gerais. Aliás, atenção redobrada em áreas de divisa com Goiás e Bahia, onde volumes altos podem ser registrados até meados desta semana.

Centro-Oeste 

Segunda-feira, 9


Na segunda-feira pouca coisa muda no cenário de chuva do Centro-Oeste. O tempo continua mais fechado no Distrito Federal, o que ainda segura a temperatura. Chove em boa parte de Goiás e de Mato Grosso, mas sem grandes acumulados.

Nas demais áreas, especialmente em todo o estado de Mato Grosso do Sul, o tempo firme predomina.

Terça-feira, 10

Na terça-feira a mesma condição, muita variação de nebulosidade e chuva no Distrito Federal, chuva em forma de pancadas rápidas entre Goiás e metade norte de Mato Grosso, e tempo firme nas demais áreas.

A tendência é de chuva em boa parte da região nos próximos dias, mas o destaque são os altos volumes que podem ser registrados em Goiás em meados desta semana.
 

Nordeste 

Segunda-feira, 9

Na segunda-feira pouca coisa, a chuva ainda se espalha pelo Nordeste. A frente fria, ainda que afastada na costa, organiza a nebulosidade sobre o sul e oeste da Bahia, na metade do Piauí e em boa parte do Maranhão, nestas áreas pode chover a qualquer momento do dia, e ainda de forma volumosa.

Altos acumulados também devem ser registrados no norte maranhense, no norte piauiense e norte cearense devido a Zona de Convergência Intertropical (ZCIT), a faixa de nuvens mais carregadas que se forma em áreas mais ao norte do Brasil durante esta época do ano.

Entre Sergipe, Alagoas, Pernambuco, Paraíba e Rio Grande do Norte, nada muda e a chuva ocorre de forma muito isolada e sem grandes acumulados.

Terça-feira, 10

Na terça-feira manutenção do tempo instável, da chuva no Nordeste, do tempo mais fechado entre Maranhão, Piauí e Bahia. A chuva ainda pode ser volumosa, com acumulados entre 20mm e 50mm em boa parte do Nordeste, com exceção de Sergipe, Alagoas, Pernambuco, Paraíba e Rio Grande do Norte.

A tendência para os próximos dias ainda é de chuva no Nordeste, especialmente no oeste da Bahia e no litoral do Maranhão.

Norte 

Segunda-feira, 9

 A chuva ainda pode ser volumosa entre o Tocantins e o Pará, aliás, céu mais nublado e com possibilidade de chuva a qualquer momento. O tempo firme segue predominando entre Roraima e Amapá.

Terça-feira, 10

Na terça-feira, o tempo seco e quente ainda deve chamar a atenção em Roraima e Amapá, enquanto que nas demais áreas a chuva ainda ocorre. Altos volumes de chuva ainda devem ser registrados entre Tocantins e Pará, mas desta vez, tem chuva volumosa prevista também entre Acre, Rondônia e sul do Amazonas.

Nos próximos dias, a tendência ainda é de tempo instável e com possibilidade de chuva em grande parte da região nortista. Os maiores acumulados ainda serão registrados no Tocantins e no Pará, mas podem ocorrer em pontos do Acre também.

Fonte: https://tempo.canalrural.com.br/noticias/2020-03-08/confira-como-fica-o-clima-nesta-segunda-e-terca-feira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Next Post

Sefaz registra aumento de 69% na emissão de Notas Fiscais com CPF

seg mar 9 , 2020
Com menos de oito meses, o Programa Nota MT já possibilitou um aumento na emissão de notas fiscais com o CPF do consumidor. A Secretaria de Fazenda (Sefaz) registrou um incremento de 69% na média mensal de notas fiscais de consumidor eletrônica (NFCe) emitidas no 2º semestre 2019, em comparação […]