Dr° José Luiz, clínico médico geral de Colíder (MT), fala sobre conscientização e combate à hanseníase; veja aqui

“Cidade em Pauta” é um espaço reservado para tratar de assuntos com informações relevantes para a comunidade local. O quadro de entrevista é dentro do programa “Estação Livre” na Rádio Aliança FM 99,9.

Por Claudemir Lima

José Luiz, clínico médico geral, fala sobre a conscientização e combate à HanseníaseImagem: facebook.

Recebemos hoje (13) na Rádio Aliança FM dentro do programa Estação Livre no quadro Cidade em Pauta, o Dr° José Luiz, clínico médico geral, para falar sobre o Janeiro Roxo, que trata sobre a conscientização e combate à hanseníase.

Dr° José Luiz explicou que a doença é causada pela bactéria Mycobacterium leprae. Há 4000 anos, a doença era conhecida como lepra. Os leprosos tinham que ficar separados da sociedade e sofriam muito preconceito porque naquela época acreditavam que a doença viria de algum castigo divino ao homem.

Segundo informações da Agência Brasil, o país tem mais 30 mil novos casos da doença. O Brasil é o segundo país do mundo com mais casos, perdendo apenas para a Índia. A divulgação de campanhas educativas sobre a hanseníase acontece em janeiro com a simbolização da cor roxa.

Segundo Dr° José Luiz é importante que as pessoas procurem atendimento médico logo nos primeiros sinais e sintomas da hanseníase. Os sintomas da hanseníase são manchas claras, vermelhas ou mais escuras dependendo do grau de infecção e época. A doença provoca alteração da sensibilidade no local, perda de pêlos e ausência de transpiração. O local pode também ficar dormente.

Quando há detecção de um caso de hanseníase em alguém da família, recomenda-se que todos procurem os postos locais de saúde para serem encaminhados a um médico especialista no diagnóstico da doença.

Dr° José Luiz, clínico medico geral, explicou que a transmissão da hanseníase se dá por gotículas de saliva ou secreções do nariz quando a convivência com infectado é muito próxima ou prolongada. Quando o paciente começa a ser tratado diminui ou zera os riscos de transmissão.

O Ministério da Saúde recomenda medidas básicas de higiene (lavagem de mãos) e aplicação da vacina BCG em todas as pessoas que compartilham o mesmo domicílio com o portador da doença. (Fonte: MinhaVida).

Veja a entrevista feita ao vivo no estúdio da Rádio Aliança FM, no programa Estação Livre. As entrevistas no quadro “Cidade em Pauta” são intermediadas pelo jornalista e locutor Claudemir Lima e pela locutora Rosely Pereira.

Dr° José Luiz, clinico geral e Claudemir LimaFoto por: Rosely Pereira

CASOS DE HANSENÍASE

Caso de hanseníaseFoto: Agencia Brasil
Caso de hanseníaseFoto: divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Next Post

Benefícios do INSS acima de um salário mínimo têm reajuste de 5,45%

qua jan 13 , 2021
Reajuste segue o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Via Agencia Brasil O Ministério da Economia publicou hoje (13) no Diário Oficial da União (DOU) portaria que oficializa o reajuste de 5,45% das aposentadorias e benefícios acima de um salário mínimo pagos pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Com o aumento, a […]