Nova Canaã/MT: Conselho Tutelar pede que pais mantenham regras e dá dicas!

Pâmela Cunha e Vanessa Medeiros (Conselho Tutelar de Nova Canaã do Norte/MT)
Ouça a entrevista na íntegra!

Reportagem: Lana Santos (Band FM 90,5)
Redação: Claudemir Lima

Sobrou só para os pais
Muitas crianças acham que estamos de férias. Algumas sabem e compreendem a situação que estamos vivendo, mas como guardar tanta energia acumulada sem extravasar? Ir na casa dos amiguinhos? Não pode. O período de quarentena faz os pais terem cuidados extras com seus menores. A escola, fechada. A creche também. Então a disciplina de criatividade sobrou para os pais. Como ensinar esta disciplina do sossego sem que eles se rebelem com as cláusulas recomendadas pela saúde pública.
Buscando informações
Afim de obter algumas respostas, a locutora e repórter Lana Santos da Band FM 90,5 (Nova Canaã do Norte/MT) conversou com as responsáveis pelo Conselho Tutelar da cidade, Vanessa Medeiros e Pâmela Cunha. Neste período em que as crianças estão e devem ficar em casa, o recado da conselheira Vanessa Medeiros, é que os pais sejam firmes neste objetivo, “porque está muito perigoso esse vírus”.
Essa preocupação é resultado da proposta científica do isolamento, pois as crianças servem de hospedeiras para o coronavírus. Especialistas da saúde afirmam que as crianças podem ser assintomáticas (não apresentar sintomas) ao coronavírus, carregar o vírus e disseminar para seus contatos próximos, os pais e avós, por exemplo. “Tem muitas crianças nas ruas, pais resguarde-os, porque vocês são responsáveis por ele”.
Algumas dicas para os pais
As conselheiras dão dicas para os pais neste momento delicado da quarentena.
Primeira dica é se desvincular do celular e desligar um pouco o televisor (e ajustar a programação á criança): a tecnologia é importante, claro. Mas pode entediar ambos. Os pais podem ficar com sensação de “insatisfação” e “extasiado” o tempo todo com uso exagerado dos celulares. A não ser para casos de uso criativo do aparelho (nossa defesa). Em relação á TV tem que filtrar os programas que são adequados á educação da criança. E nada de dormir fora de hora. O bom sono dá imunidade ao organismo.
Segunda dica: caso não conhecer muitas brincadeiras, pode utilizar o Google e resgatar aquelas brincadeiras de antes da chegada do smartphone. Velhas brincadeiras trazem mais valores afetivos e de companheirismo neste momento. Como jogo de damas, dominó, palavras-cruzadas, joguinho da forca, adivinhação, bolinha de gude, cinco marias, esconde-esconde etc. (desde que seja dentro do ambiente seguro da casa, sem sair pra rua, óbvio).
Terceira dica: participar das iniciativas (sadias) de brincadeiras das crianças. As crianças gostam da atenção dos pais. Em sala de aula, elas requerem a atenção de seus professores. Em casa o tempo todo, elas vão querer que os pais participem ou deem valor no que elas estão fazendo. Neste momento é hora de acompanhar suas iniciativas e corrigir os desvios.  Ou seja, ajustar o comportamento da criança àquilo que é de bom modo e correto.
E brincar na pracinha? Também não está permitido. “Vamos aguardar esse período passar, porque talvez a criança pega ali no brinquedo o vírus de alguém infectado e leva pra dentro de casa”, diz Pâmela.
À disposição
O Conselho Tutelar de Nova Canaã do Norte comunica que está trabalhando internamente. Devido ao período de quarentena, está atendendo casos mais graves, de risco à criança, como abuso, por exemplo. Em casos de necessidade, o Conselho Tutelar disponibiliza um número de celular para ocorrências, que é o (66)99631-2243 ou caso queira pode ligar no telefone fixo, (66)3551-1550.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Next Post

Diante de pandemia, população deve estar alerta sobre notícias falsas

seg mar 30 , 2020
Entidades se mobilizam para desmentir as fake news A pandemia do novo coronavírus e as medidas de isolamento social vêm sendo acompanhadas pela ampla profusão de conteúdos sobre o tema. Com isso crescem também as notícias falsas, prática difundida no Brasil e no mundo nos últimos anos. Nesse momento,a população […]