Para prevenir propagação do Covid-19, reeducandos são soltos em Cuiabá

Foto: Rogério Florentino

Atendendo recomendações do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em portaria conjunta dos Ministérios da Saúde e da Justiça e Segurança Pública, o Poder Judiciário de Mato Grosso colocou em liberdadade alguns presos de Cuiabá como forma de previnir a propagação do novo coronavírus. Vídeo que circula em redes sociais mostra os reeducados saindo da Penitenciária Central do Estado (PCE). 

Na quinta-feira (19), a Secretaria Estadual de Saúde (SES) divulgou a notificação de 59 casos suspeitos de coronavírus em Mato Grosso. Até o momento, as equipes de vigilância monitoraram um total de 87 ocorrências no estado, sendo que 11 casos foram descartadas e 17 foram excluídas por não preencheram critérios de definição de caso para COVID-19. Um caso foi oficializado pela Pasta e outros confirmados por laboratórios particulares, aguardam contraprova. 

A Recomendação 62/2020 do CNJ traz orientações aos Tribunais e aos magistrados quanto à adoção de medidas preventivas no âmbito dos sistemas de justiça penal e socioeducativo. Em relação aos que já estão encarcerados, sugere a reavaliação de prisões provisórias, especialmente quanto a grupos mais vulneráveis (como mães, portadores de deficiência e indígenas) ou quando o estabelecimento estiver superlotado ou sem atendimento médico. 

Recomenda, ainda, reavaliação de prisões preventivas com prazo superior a 90 dias ou que resultem de crimes menos graves, além de indicar que novas ordens de prisão devem respeitar ‘máxima excepcionalidade’.

Quanto aos presos que já cumprem pena, a recomendação é para que os magistrados avaliem a concessão de saída antecipada nos casos previstos em lei e na jurisprudência, e também a reconsideração do cronograma de saídas temporárias em aderência a planos de contingência elaborados pelo Executivo. 

Recomenda a opção pela prisão domiciliar aos presos em regime aberto ou semiaberto ou quando houver sintomas da doença, assim como suspensão da obrigatoriedade de apresentação em juízo pelo prazo de 90 dias nos casos aplicáveis.

Alterações

A instalação e a manutenção das tornozeleiras eletrônicas vão passar por mudanças durante o período de suspensão das audiências de custódia pelo periodo de 15 dias, conforme portaria 247/2020 do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) em razão da pandemia. O serviço de instalação e manutenção do equipamento, por ora, não será realizado no Fórum de Cuiabá.

A partir de quinta-feira (19), os monitorados em Cuiabá e Várzea Grande precisam ligar no 0800 643 5508 e agendar a manutenção no período das 8h às 12h, na quadra anexa à Secretaria Adjunta de Administração Penitenciária (SAAP), na Avenida Américo Salgado, esquina com a Wenceslau Braz, no bairro Quilombo, em frente ao posto de saúde do bairro. As manutenções serão limitadas a 20 procedimentos diários.

No período da tarde, as equipes vão instalar as tornozeleiras eletrônicas nas próprias unidades prisionais da capital: Penitenciária Central do Estado (PCE), Penitenciária Feminina Ana Maria do Couto May, Centro de Custódia de Cuiabá (CCC), Centro de Ressocialização de Cuiabá (CRC), além da Cadeia Pública do Capão Grande, em Várzea Grande.

No caso das prisões, o juiz vai homologar ou não os pedidos e os casos de flagrantes, e caberá à Polícia Judiciária Civil encaminhar a pessoa à unidade prisional das 08h até às 15h, da mesma forma como ocorre nas audiências de custódia munido de documentos como exame de corpo delito, nota de culpa e o flagrante. O setor de Gerência de Custódia da Sesp será acionado e pelo perfil do preso, indicada qual a unidade em que deve ser direcionado.  Após a chegada na unidade, ou vai para o fechado ou aguarda para instalação da tornozeleira eletrônica.

Fonte: https://www.olharjuridico.com.br/noticias/exibir.asp?id=42825&noticia=para-prevenir-propagacao-do-covid-19-reeducandos-sao-soltos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Next Post

Reflexão da Aliança 20/03/20

sex mar 20 , 2020
Jesus te Ama #ReflexãodaALIANÇA