Semana para a soja: preço no Brasil deve se manter em alta, diz consultoria

Com a crise gerada pelo avanço do coronavírus no mundo, o mercado deve focar suas atenções nos desdobramentos econômicos que isso irá gerar. Veja outros pontos de atenção!

Preço da soja. Foto: Pixabay/montagem

A semana já começa quente, a exemplo da anterior. O mercado ainda segue de olhos nos impactos econômicos que o coronavírus gera no mundo. Segundo o analista de mercado, Luiz Fernando Gutierrez, a tendência é que os preços da soja no Brasil sigam bastante atraentes, puxados pela alta do dólar. Acompanhe abaixo outros fatos que deverão merecer a atenção do mercado de soja nesta semana.

  • O mercado de soja mantém as atenções centralizadas na evolução da pandemia de coronavírus ao redor do mundo e suas consequências para a economia global. A questão envolvendo a produção mundial de petróleo também permanece no radar. Além disso, players acompanham a colheita da safra na América do Sul;
    .
  • O mercado financeiro deve continuar bastante volátil nos próximos dias, respondendo diretamente a notícias e ações governamentais derivadas do coronavírus. A grande dúvida continua sendo qual será o verdadeiro impacto econômico da pandemia nas principais economias do mundo. Medidas como restrições e paralisações de alguns setores de grandes economias tendem a trazer um impacto relevante para o crescimento do PIB mundial nesta temporada;
    .
  • A Europa se tornou, agora, o atual epicentro da pandemia. Esta notícia contrasta com o recente anúncio de que a evolução da doença já está controlada na China, o que é visto com bons olhos. Apesar disso, o mercado deve continuar nervoso diante dos primeiros números econômicos após início da epidemia no país asiático. No domingo, dia 15, a China deve divulgar seu índice de produção industrial de fevereiro, auge da disseminação da doença no país. É esperada uma grande queda neste índice, o que pode voltar a assustar os mercados;
    .
  • Chicago deve continuar acompanhando o mercado financeiro. Não há força para a retomada do patamar de US$ 9,00 por bushel nos próximos dias. Apesar disso, os problemas climáticos que atingiram o Rio Grande do Sul e algumas províncias argentinas, e que estão reduzindo os potenciais produtivos da safra do Brasil e da Argentina, podem trazer algum suporte, mesmo que pontual;
    .
  • Assim como Chicago, o câmbio também responderá aos novos capítulos do coronavírus e petróleo, permanecendo bastante volátil. Não há tendência definida, mas o momento continua indicando firmeza na cotação do dólar frente à moeda brasileira.

“Com o dólar elevado, acima dos R$ 4,90, a tendência é que os preços no Brasil seguirão bastante atraentes para os produtores. De fato o mercado internacional seguirá afetando as cotações em Chicago, que podem sim vir abaixo dos US$ 8,20 por bushel, mas o dólar compensará essa baixa”, diz Gutierrez.

Fonte: https://www.canalrural.com.br/sites-e-especiais/projeto-soja-brasil/semana-para-a-soja-preco-no-brasil-deve-se-manter-em-alta-diz-consultoria/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Next Post

Moradores encontram peixes mortos no Rio Teles Pires e fazem denúncia à equipe da Top FM.

seg mar 16 , 2020
Os moradores de Itaúba (MT) encontraram peixes mortos boiando no Rio Teles Pires, nas proximidades da balsa, acerca de 28 quilômetros da Usina Hidrelétrica de Colíder. Os moradores, que são ouvintes da Rádio Top FM, enviaram ao programa da emissora (Top Cidade), vídeos e fotos, pudendo assim constatar centenas de […]