Em Sinop (MT), Conselho decide sobre volta das aulas presenciais

Via Só Notícias

Imagem ilustrativa: izusek/Getty Images

A secretária de Educação, Esporte e Cultura, Veridiana Paganotti confirmou, que o Conselho Municipal de Educação define, na próxima semana, se as aulas presenciais para mais de 17 mil alunos da rede municipal de ensino devem ser retomadas em novembro ou dezembro. “Estamos aguardando o parecer final que vai decidir o retorno ou não. Nós continuamos com nossas escolas prontas e tudo preparado”, disse.

Apesar da definição da secretaria estadual de Educação (Seduc), que optou manter as aulas presenciais suspensas em Mato Grosso, o futuro da rede municipal vai depender do conselho. “Nós estamos conversando, eles estão fazendo resolução de como termina o ano letivo”, salientou.

“Estamos também aguardando as informações da secretaria estadual de Saúde, porque temos a informação da Seduc, mas em compensação a secretaria estadual de Saúde é quem tem os acerca da questão da pandemia. Então estamos prontos para retornar a qualquer momento que as autoridades sanitárias definirem como propício.”, completou.

A Seduc divulgou que as aulas serão concluídas neste ano de forma não presencial e irão até o dia 18 de dezembro. A secretaria apontou ainda que os professores continuarão  desempenhando as funções em teletrabalho.

Já o atendimento realizado pela equipe gestora nas escolas e no órgão central da pasta continuam de forma presencial, conforme estabelece decreto estadual publicado no dia 6 deste mês. A participação dos alunos nas aulas é obrigatória. Além disso, continuará distribuição de material didático impresso, ou por meio de plataforma online.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Next Post

Verbas indenizatórias para vereadores de Alta Floresta (MT) são suspensas pela Justiça

qui out 29 , 2020
Via Assessoria MP/MT A pedido do Ministério Público do Estado de Mato Grosso, a Justiça determinou liminarmente a imediata suspensão do pagamento das verbas de caráter indenizatório para todos os vereadores da Câmara Municipal do Município de Alta Floresta (a 803km de Cuiabá), bem como suspendeu os efeitos da lei […]