Fabricantes e Detrans dizem que mudanças desconfiguraram placa do Mercosul, que ficou menos segura; governo nega

Placa padrão Mercosul adotada no Brasil — Foto: André Paixão/G1

As placas de veículos no padrão Mercosul serão adotadas em todo o Brasil a partir desta sexta-feira (31), 9 anos depois de anunciada a ideia de unificação entre os países do bloco.

O modelo já é usado na Argentina, no Paraguai e no Uruguai. No Brasil, dono da maior frota, as novas placas terão menos elementos de segurança do que quando foram apresentadas pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), em 2014.

A associação dos fabricantes de placas (Anfapv) diz que as diversas mudanças, feitas ao longo dos governos Dilma, Temer e Bolsonaro (veja linha do tempo abaixo), desconfiguraram a placa. E que elas ficaram menos seguras do que na composição original.

Isso também é apontado pela Associação Nacional dos Detrans (AND), que chega a dizer que, com as alterações, não se pode mais chamar de placa do Mercosul.

O governo afirma que o QR Code — aquele código que pode ser lido pelo celular — dará informações adicionais sobre o veículo, que não estão disponíveis nas placas cinza, e será suficiente para rastreá-lo (veja o que é informado no QR Code das placas).

O uso do dispositivo é elogiado por especialistas em segurança ouvidos pelo G1.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Next Post

Hoje a partir das 13:00 hrs no programa TOP DE LINHA com Júlia Viana você estará concorrendo a está linda mochila em oferecimento Super Loja Rei do Pano.

sex jan 31 , 2020