Fiscalização destrói garimpo ilegal em Nova Bandeirantes (MT)

Operação Amazônia Arco Norte aplicou R$ 101 milhões em multas por crimes contra flora

Via Assessoria Sema/MT

Uma fiscalização realizada pelo Governo de Mato destruiu um garimpo ilegal próximo ao Parque Nacional do Juruena, no município de Nova Bandeirantes. A ação fiscalizatória foi conduzida pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente juntamente com o Indea e policiais militares do Batalhão de Operações Especiais (Bope).

A degradação ambiental foi constatada com auxílio dos alertas de desmatamento da Plataforma de Monitoramento da Cobertura Vegetal de Mato Grosso, que utiliza a tecnologia de satélite Planet. Com apoio da aeronave do Exército Brasileiro (Helicóptero Jaguar), a equipe sobrevoou no último domingo (07) o ponto detectado via satélite e constatou a atividade de desmatamento e garimpo ilegais, no entorno do antigo “Garimpo Juruena”.

No dia seguinte, fiscais da Sema e Indea, acompanhados por policiais do Bope, se deslocaram por solo até os locais que foram sobrevoados. No acampamento, os motores estacionários encontrados no local foram destruídos. O garimpo apresentava vestígios de extração ilegal de ouro. Os suspeitos não foram encontrados no local.

Destruição de Garimpo Ilegal em Juruena
Créditos: Sema-MT

Desmatamento ilegal zero

A ação realizada em Nova Bandeirantes integra Operação Amazônia Arco Norte do Governo de Mato Grosso em parceria com a Operação Verde Brasil do Governo Federal, visando zerar o desmatamento ilegal em Mato Grosso.

Desde o início da Operação, em maio, foram aplicados R$ 101 milhões em multas por crimes contra a flora, como desmatamento, exploração florestal e queimadas ilegais, dentre outros. Foram embargados mais de 21 mil hectares e apreendidos 44 tratores.

Desde janeiro, Mato Grosso aplicou R$ 555 milhões por crimes contra a flora e embargados 78 mil hectares. As ações conduzidas resultaram na apreensão de 116 tratores e 27 caminhões.

Atividade essencial

As atividades de fiscalização ambiental, que incluem as ações de monitoramento e controle de crimes ambientas como desmatamento e exploração florestal ilegais, pesca predatória, caça ilegal, poluição causara por empreendimentos, dentre outros, seguem em pleno funcionamento durante a pandemia do Covid-19.

De acordo com artigo 8° do decreto Estadual 432/2020, a fiscalização ambiental é considerada atividade essencial no Estado. Ao se deparar com crimes ambientais, o cidadão pode fazer denúncias pelo 0800 65 3838 ou via aplicativo MT Cidadão (disponível para IOS e Android).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Next Post

Ministério da Saúde não renova contrato com empresa e reduz capacidade de testes em MT

qua jun 10 , 2020
Lacen-MT trabalha com a capacidade de análise de 400 amostras por dia; prazo para o resultado dos testes varia de 24 horas a cinco dias Via Assessoria SES/M A capacidade de testagem dos exames de detecção da Covid-19 sofreu uma redução em 748 análises diárias, em Mato Grosso. Até a semana […]