Maia descarta prorrogar estado de calamidade

Medida permitiria prorrogação do auxílio emergencial

Via Agencia Brasil

Rodrigo Maia (DEM-RJ) – Foto por: © Najara Araujo/Câmara dos Deputados

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que o Parlamento brasileiro não irá aprovar uma eventual proposta de prorrogação do estado de calamidade pública a fim de permitir que o governo federal gaste além do chamado “teto de gastos”, regra fiscal que limita os gastos públicos e que está em vigor desde 2017.

“Hoje, conversando com investidores, deixei bem claro que a Câmara não irá, em nenhuma hipótese, prorrogar o estado de calamidade para o ano que vem”, escreveu Maia em sua conta pessoal no Twiter, referindo-se à sua participação, poucas horas antes, em um evento digital realizado por uma empresa de assessoria de investimentos.

Decretado pelo governo federal em função da pandemia da covid-19 e aprovado pela Câmara e pelo Senado em março deste ano, o reconhecimento do estado de calamidade pública no país está previsto para vigorar até 31 de dezembro. Um dos principais aspectos do decreto é autorizar o governo federal a gastar além da meta fiscal prevista para este ano.

O orçamento de 2020 previa uma meta de déficit primário de R$ 124,1 bilhões (ou 1,7% do Produto Interno Bruto – PIB, a soma de todas as riquezas produzidas no país), mas com a aprovação do decreto de calamidade pública por causa da pandemia, o governo foi autorizado a gastar além desse limite, ampliando os gastos públicos, principalmente com medidas de enfrentamento às consequências socioeconômicas da pandemia.

No fim de setembro, o secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, admitiu, durante audiência pública na Comissão Especial do Congresso Nacional, que as contas públicas do governo federal devem fechar o ano com um déficit de R$ 871 bilhões (12,1% do PIB).

Apesar disso, alguns setores começaram a sugerir a hipótese de propor a extensão da vigência do decreto de calamidade pública até 2021. A medida, que precisaria da aprovação do Congresso Nacional, permitiria ao governo federal, entre outras coisas, prorrogar o pagamento do auxílio emergencial às famílias financeiramente prejudicadas pela pandemia.

Ao participar da audiência, o próprio secretário defendeu o teto de gastos, alegando que a medida não permite que a maior parte das despesas do governo cresça acima da inflação do ano anterior, evitando “riscos fiscais desnecessários”. A opinião é compartilhada por Rodrigo Maia. 

“Soluções serão encontradas dentro deste orçamento, com a regulamentação do teto de gastos”, escreveu Maia, hoje, em sua conta pessoal no Twitter.

“A gente já viu que ideias criativas, em um passado não tão distante, geram desastres econômicos e impactam a vida das famílias brasileiras. Eu, como primeiro signatário da PEC da Guerra, não posso aceitar que ela seja desvirtuada para desorganizar o nosso Estado, a economia”, acrescentou o presidente da Câmara, afirmando “que não há caminho fora do teto de gastos”.

Edição: Lílian Beraldo

8 thoughts on “Maia descarta prorrogar estado de calamidade

  1. I do accept as true with all the ideas you’ve presented in your post.
    They are very convincing and will certainly work. Still, the posts
    are very short for novices. Could you please prolong them a bit from next time?
    Thank you for the post.

  2. Hi there just wanted to give you a quick heads up
    and let you know a few of the pictures aren’t loading properly.

    I’m not sure why but I think its a linking issue.

    I’ve tried it in two different web browsers and both show the same
    outcome.

  3. You can certainly see your expertise in the article you write.

    The arena hopes for more passionate writers such as you who are not afraid
    to say how they believe. All the time follow your heart.

  4. Hiya! Quick question that’s entirely off topic. Do you know how to make your site
    mobile friendly? My web site looks weird when viewing from my
    iphone4. I’m trying to find a template or plugin that might
    be able to fix this issue. If you have any recommendations, please share.
    Cheers!

  5. I got this web page from my pal who shared with me about this web page and at the moment this
    time I am visiting this web page and reading very
    informative articles at this place.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Next Post

Relatório aponta importância do debate sobre alimentação nas eleições

seg out 19 , 2020
Estudo defende apoio a agricultura local Via Agencia Brasil Neste momento de eleições municipais, candidatos a prefeito e a vereador apresentam propostas para diversas políticas públicas. Mas para o Instituto Escolhas, a produção e o abastecimento de alimentos nos centros urbanos não recebem tanta atenção nos debates sobre as ações […]