Ministério da Saúde não renova contrato com empresa e reduz capacidade de testes em MT

Lacen-MT trabalha com a capacidade de análise de 400 amostras por dia; prazo para o resultado dos testes varia de 24 horas a cinco dias

Via Assessoria SES/M

Até a semana passada, o Lacen-MT realizava 1.148 testes. Agora passa a analisar apenas 400 exames por dia – Foto por: Tchélo Figueiredo – Secom/MT

A capacidade de testagem dos exames de detecção da Covid-19 sofreu uma redução em 748 análises diárias, em Mato Grosso. Até a semana passada, o Lacen-MT realizava 1.148 testes. Agora passa a analisar apenas 400 exames por dia.

A baixa ocorreu devido a não renovação de contrato pelo Ministério da Saúde com a empresa Abbot, que detém os equipamentos para análise das amostras recebidas pelas unidades laboratoriais em todo país.

A informação foi anunciada durante entrevista coletiva virtual da última terça-feira (09), pelo secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo, que demonstrou preocupação diante da crescente demanda pelo teste, seguido do aumento da disseminação do vírus no estado, que já registrou casos em 109 municípios.

“Já estávamos operando com 1.148 análises por dia, agora caiu para 400 testes – o que gera uma redução de 65% das análises. Nossa capacidade esteve sempre maior que a demanda recebida. No entanto, com isso, começa a demorar para divulgar os resultados dos testes que chegam demandados pelo interior. O que antes estávamos analisando em 24 horas, agora está em até cinco dias”, pontou o gestor.

Desde o dia 1º de junho, quando o serviço foi desativado pela empresa detentora da patente de utilização, o Lacen-MT trabalha com a capacidade de análise de 400 amostras por dia. Ainda de acordo com o Laboratório, neste momento, o prazo para o resultado dos testes varia de 24 horas a cinco dias.

“Com isso, uma etapa da extração das amostras ficou prejudicada; ela saiu do automatizado para o manual. Como o estado aumentou muito a demanda de testes, tivemos que criar critérios para priorizar essas demandas. Estamos priorizando os internados e óbitos para termos um resultado rápido. No entanto, os sintomáticos leves que os municípios mandam e a demanda de assintomáticos, que está grande, fica prejudicada no tempo de reposta porque extrapola a capacidade do Lacen”, enfatiza o secretário adjunto de Atenção e Vigilância em Saúde, Juliano Melo.

De acordo com o secretário, está sendo organizada uma frente de trabalho para resgatar a capacidade de realização de testes da unidade. Entre as iniciativas, está a aquisição de equipamento com o objetivo de automatizar atividades que ainda hoje são realizadas manualmente, a capacidade de dobrar turno, e a contratação de pessoal.

Até o último Boletim Informativo divulgado pela SES-MT, na terça-feira (09), um total de 9.724 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e, atualmente, restam 785 amostras em análise laboratorial, que representa 7% do total.

Por Durcy Arévalo | SES-MT

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Next Post

MP autoriza MEC a escolher reitores temporários durante pandemia

qui jun 11 , 2020
Em nota, ministério diz que texto é constitucional Via Agencia Brasil Foi publicada no Diário Oficial da União ontem na quarta-feira (10) a Medida Provisória (MP) 979/20, que dá ao ministro da Educação a prerrogativa de designar reitores e vice-reitores temporários das instituições federais de ensino durante a pandemia de covid-19. O […]