Nilvannya Tomaz, coordenadora da Pastoral da Criança em Colíder (MT), fala sobre as atividades da Pastoral e a importância do voluntariado

Nesta segunda-feira, entrevistamos a coordenadora da Pastoral da Criança de Colíder (MT), Nilvannya Tomaz. De segunda a sexta-feira, você pode acompanhar as entrevistas no programa “Estação Livre” com Claudemir Lima dentro do “Cidade em Pauta” com a participação da locutora Rosely Pereira.

Por Claudemir Lima

Nilvannya Tomaz, coordenadora da Pastoral da Criança em Colíder Foto por: arquivo pessoal

A coordenadora da Pastora da Criança em Colíder (MT) Nilvannya Tomaz foi a entrevistada desta segunda-feira (03) no programa “Estação Livre” dentro do “Cidade em Pauta”. Nilvannya falou da atuação da Pastoral no atendimento às crianças e mães no município; da importância de novas lideranças voluntárias e do apoio da comunidade para a realização dos trabalhos.

Nilvannya conheceu a Pastoral da Criança na cidade de Juruena (MT) aonde exerceu a função de líder. De lá para cá, se tornou voluntária da Pastoral da Criança. A pastoral atende crianças de 0 a 06 anos de idade. “A gente faz uma formação nutricional para ter este acompanhamento”, pontua. Nilvannya ressalta que as mães são acompanhadas mesmo após os seis anos de idade da criança. Para as visitas às famílias, a coordenadora utiliza o aplicativo Visita Domiciliar, que é instalado no celular da mãe e auxilia no acompanhamento nutricional das crianças. O aplicativo está disponível para ser baixado na Play Store (Android) ou Apple Store (IOS).

A Pastoral da Criança foi fundada em 1983 pela médica sanitarista e pediatra Drª Zilda Arns Neumann, na cidade de Florestópolis (PR). “Ela é um organismo da Igreja Católica, ela faz quase 39 anos de existência. Ela é uma entidade que se apoia no voluntariado. A gente é voluntário para auxiliar na PC que presta todo este trabalho com a família, com a criança”, descreve Nilvannya.

Devido a pandemia da covid-19, as formas de trabalho da Pastoral da Criança foram adaptadas para evitar aglomerações, mas não pararam. Nilvannya disse que ela se reuniu com as líderes aonde todas se propuseram a utilizar alguns aplicativos e ferramentas para se manterem comunicáveis, como o Google Meet, e assim darem continuidade aos trabalhos. “Não estava usando o prédio da Pastoral (devido a pandemia), mas a gente é agraciada pelo fato de ter um carro. Então a gente aprendeu faze o bom uso dele agora. Fizemos lanches, pegamos a balança, álcool em gel, máscaras, o medidor, pegamos uma fita, e fomos ao trabalho”

Voluntárias da Pastoral da Criança Foto por: Pastoral da Criança

“Antes da pandemia mudar tudo, nós temos o prédio da Pastoral da Criança no Bairro Teles Pires, na Rua Ipiranga. Todo sábado, a gente tem a celebração da vida. Nesta celebração da vida, a gente faz um lanche para criança, para as famílias, uma brincadeira, a gente monta pula-pula. Neste intervalo a gente pesa a criança, tira a medida da criança, lê o livrinho para a mãe aonde fala que a criança está abaixo ou acima do peso”, explica Nilvannya.

Para fazer a orientação para as mães, as líderes passam por uma breve formação sobre nutrição. Quando a criança está com excesso do peso ou abaixo do peso, com risco de desnutrição, a líder da pastoral orienta a mãe a procurar o médico. “Este acompanhamento ajuda muito. Então este trabalho de acompanhamento é feito todo terceiro sábado”.

Registro de ação da Pastoral da Criança de Colíder- Foto por: Pastoral da Criança/Nilvannya

Nilvannya ressalta que é importante o surgimento de novos voluntários para engajamento na Pastoral da Criança. Qualquer minuto doado para atender as crianças será bem-vindo, frisou a coordenadora. Em Colíder, a Pastoral da Criança conta com a prestação de um trabalho voluntário especial da cantora e musicoterapeuta, Carmen Di Novic, que realiza um trabalho excepcional através da música com as crianças.

A coordenadora disse que em breve a equipe de voluntárias da Pastoral da Criança irá visitar a comunidade Zé Reis. “A gente vai pegar as líderes e vamos lá num final de tarde, visitar, conhecer que são os ministros, porque a igreja nos ajuda muito; os ministros, os agentes de saúde, que cuidam daquela localidade”, ressalta. Em Colíder, a Pastoral da Criança atende em torno de 600 crianças. Na zona rural, a Pastoral ainda não está em todos os setores. O intuito é motivar novas pessoas para serem voluntárias da Pastoral da Crianças em setores que ainda não tem.

A coordenadora Nilvannya assumiu a Pastoral da Criança em Colíder num momento em que estava surgindo os primeiros casos de contaminação do coronavírus, quando logo depois vieram os decretos coibindo ajuntamento de pessoas. Ela contou com sua própria experiência como líder da Pastoral em Juruena para manter os trabalhos ativos.

“Só uma vez por mês que a pessoa vai doar seu tempo, tipo de uma e meia até as cinco da tarde. Se você não pode ficar todo este tempo, vai lá auxilia um pouco. É bem vindo. É gratificante”. Nilvannya salienta que ninguém recebe salário para trabalhar na Pastoral, trata-se de doação de tempo e de vida ao próximo. “Deus nos capacita, nos dá força”, complementa. Para ser voluntário (a) não importa a idade. “A gente precisa de jovens, de pessoas de mais idade também porque tem mais conhecimento e o jovem porque está ensinando e está aprendendo”.

Nilvannya ressalta que a Pastoral da Criança ainda não tem nenhum convenio com o poder público. “Nós dentro da prefeitura, no poder legislativo, temos apoio da nossa antiga coordenadora que é a Maria Helena (vereadora). Agora a gente tem o apoio dela. Ela é vereadora mas não abandonou a obra, continua como líder e nos ajuda muito”. A Pastoral da Criança recebe doações de ingredientes para fazer a multimistura da ACIC e empresários (as). “Tem lugar que a Pastoral cobra a multimistura. Nós como ganhamos a doação para preparar a multimistura e nosso trabalho é voluntário, a gente faz com amor, nós não cobramos”.

Quem quiser ajudar a Pastoral da Criança sendo voluntário (a) ou fazendo doação pode entrar em contato pelo telefone (66)9 9959-3319 e falar diretamente com a coordenadora Nilvannya Tomaz.

Mais detalhes, veja abaixo o vídeo da entrevista na rádio.

*Fotos encaminhadas pela coordenadora da Pastoral da Criança, Nilvannya Tomaz

Claudemir Lima (jornalista/locutor) e Nilvannya Tomaz, coord. da Pastoral da Criança Foto por: Altonorte
Rosely Pereira (locutora) e Nilvannya Tomaz, coord. da Pastoral da Criança Foto por: Altonorte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Next Post

Com fechamento da Agência Fazendária, notas fiscais para produtores rurais serão emitidas no setor de tributação de Guarantã do Norte (MT)

ter maio 4 , 2021
Com fechamento do escritório da “Agencia Fazendária” em Guarantã do Norte (MT), notas fiscais emitidas para os produtores rurais passam a serem emitidas no setor de tributação do município. Por Claudemir Lima Desde terça feira (04), os serviços de emissão de notas fiscais aos produtores rurais do município de Guarantã […]