Nos últimos dois anos, 30 menores sofreram violência e abuso sexual em Colíder (MT)

As psicólogas Sandra Betânia Burginski (CREAS) e Debora Regina (CRAS) juntamente com Elisangela Behmr, do Conselho Tutelar foram as entrevistadas desta sexta-feira, na Aliança FM.

Por Claudemir Lima

As psicólogas Sandra Betânia Burginski (CREAS) e Debora Regina (CRAS) juntamente com Elisangela Behmr, do Conselho Tutelar foram as entrevistadas desta sexta-feira, no “Cidade em Pauta”, com Claudemir Lima. Foto por: Camily Porsebom

Nesta sexta-feira (13), Sandra Betânia Burginski, psicóloga do CREAS (Centro de Referência Especializada em Assistência Social) e Debora Regina, psicóloga clínica do CRAS (Centro de Referencia de Assistência Social), juntamente com a agente do Conselho Tutelar, Elisangela Behmr, foram as entrevistadas do “Cidade em Pauta”.

O quadro traz entrevistas informativas dentro do programa “Estação Livre” apresentado pelo jornalista Claudemir Lima, na Aliança FM 99,9.

A pauta da entrevista foi a Campanha Nacional Maio Laranja relacionada ao Dia Nacional de Combate a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, celebrado no dia 18 de maio.

As psicólogas lembraram que a data é escolhida para homenagear Araceli Cabrera Sánchez Crespo, uma menina de 08 anos, que foi raptada, drogada, estuprada, morta e carbonizada no Espírito Santo em 1973.

Mesmo com as provas do crime, os acusados no caso Araceli foram absolvidos e o processo arquivado pela Justiça.

Em Colíder, o CRAS, CREAS e Conselho Tutelar, em conjunto com a Assistência Social, estão desenvolvendo diversas ações ao longo deste mês para chamar a atenção da sociedade sobre o problema do abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes no município.

A psicóloga Betânia Burginski define a violência sexual “quando adulto ou a pessoa mais velha violam os direitos da criança ou adolescente para obtenção de prazer sexual”.

81% dos casos de violência contra crianças e adolescentes ocorrem dentro de casa, afirma MMFDH. Foto por: Shutterstock

Debora Regina explicou sobre os sinais que as crianças demonstram quando estão sendo vítimas de abuso sexual. “A criança expressa alguma situação relacionada ao abuso, seja ele através do toque em seu corpo ou através da fala do ato consumado. A criança tende a procurar um adulto de sua confiança para desabafar e muitas vezes ela relata ao seu professor de confiança, ou um parente no qual ela sinta segura para falar”.

Elisangela Behmr, conselheira, ressaltou que o ECA (Estatuto da Criança e Adolescente) define criança dentro da faixa etária de zero a 12 anos. É considerado adolescente de 12 a 18 anos de idade.

Nos últimos dois anos, o Conselho Tutelar atendeu 30 casos de violência sexual contra crianças e adolescentes no município de Colíder. O número é considerado alto em comparação com o total de habitantes. A maior incidência de casos foi no período de isolamento social devido a pandemia.

Elisangela ressaltou que o trabalho do Conselho Tutelar é desenvolvido junto com o CRAS e CREAS. Ela também falou sobre a lei federal Nº9.970/2000 que instituiu o dia 18 de maio como data de conscientização e debate sobre o problema.

As psicólogas Debora e Betânia falaram sobre os locais em que ocorrem os abusos contra as crianças e adolescentes: intrafamiliar e extrafamiliar. Segundo elas, e conforme dados do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), a maioria, ou seja, mais de 80% dos casos de abusos sexuais são praticados por alguém da própria família, de confiança da criança; pai, mãe, tio, etc. 

Elas explicaram sobre as variadas formas de abuso e exploração sexual que acontecem com ou sem contato físico com a vítima.

As entrevistadas conclamaram para que a denúncia seja feita sem medo, pois há total sigilo, e de forma alguma é revelada a identidade do denunciante. As denuncias podem ser feitas por meio de diversos canais, como: Disque 100 (MMDH), 197 (Policia Civil), 180 (Canal de Atendimento á Mulher), 191 (Policia Rodoviária Federal), Ministério Público, Instituto Médico Legal, CRAS e CREAS.

A pessoa pode fazer a denúncia também diretamente ao Conselho Tutelar do município através do telefone (66) 9 9292-4539 (WhatsApp).

Confira abaixo a entrevista completa:

Áudio da entrevista

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Next Post

Governo vai ao STF para suspender resolução do Confaz sobre diesel

sex maio 13 , 2022
AGU diz que medida é inconstitucional e prejudica consumidor Via Agencia Brasil O governo federal entrou hoje (13) com ação no Supremo Tribunal Federal (STF) para suspender parte da resolução do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) que trata da cobrança do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) na […]