Novidade no Instagram, fonte Comic Sans pode ajudar usuários disléxicos

Por Carina Brito, colaboração para Tilt

Via Uol Notícias

Imagem: Getty Images

O Instagram disponibilizou novas fontes para serem usadas nos Stories, mas uma que já é bem conhecida acabou chamando atenção. A Comic Sans, usada tão massivamente que hoje é considerada até um pouco cafona, fez muita gente revirar os olhos quando apareceu entre as opções.

Mas existe um motivo relevante para ela ser adotada e que torna a novidade da rede social digna de apoio: ela pode facilitar a leitura por pessoas com dislexia.

“A dislexia é um transtorno de aprendizado específico das habilidades de leitura e escrita. Então a fonte auxilia muito na compreensão das informações e a Comic Sans é uma ótima opção”, explica Gustavo Simi, psicólogo e pesquisador na Associação Brasileira de Dislexia (ABD). A associação estima que a doença afeta entre 5% e 17% da população mundial, sendo que vários casos nunca são diagnosticados.

O pesquisador explica que as fontes ideais precisam ter algumas características que favoreçam a leitura, como um espaçamento razoável entre as letras e uma grossura maior no contorno. “O melhor exemplo é a OpenDyslexic, fonte criada por pesquisadores do mundo todo justamente para ajudar.

De acordo com a Associação Britânica de Dislexia, o espaçamento entre letras é importante em casos como “rn”, que se estiverem muito próximos podem ser confundidos com “m”. Além disso, vale tentar diferenciar ao máximo o modo de escrever o número “1”, a letra “l” e o “I” maiúsculo.

O que dificulta a leitura é justamente o contrário: letras muito finas, parecidas entre si e que ficam muito próximas umas das outras. Isso faz com que as pessoas façam inversões na leitura e não consigam entender letras similares, como “m” e “n” e “p” e “q”. “Ao não utilizar uma fonte que favorece quem tem dislexia, você certamente vai dificultar ainda mais o seu entendimento”, diz Simi.

É importante ressaltar que isso não significa que a Comic Sans vai ser uma grande ajuda para todas as pessoas com dislexia — e isso tem a ver com características individuais de cada caso, o grau da doença e como está o tratamento. “Se for um adulto com dislexia grave e que passou a vida inteira sem ter tratamento, a Comic Sans não vai ajudar”, explica.

Mudança no Instagram

Em nota, o porta-voz do Facebook (empresa que também é responsável pelo Instagram) não diz se a inserção da Comic Sans foi pensando na inclusão de pessoas com dislexia. “Testamos o recebemos o feedback da comunidade do Instagram sobre as novas fontes disponíveis a fim de garantir que as pessoas tenham uma experiência positiva na plataforma.

Queremos oferecer uma maior variedade de estilos para que a comunidade possa se expressar de maneira autêntica em todos os momentos”, afirma a nota.

Ainda assim, a mudança é vista com bons olhos por quem sabe as dificuldades que os disléxicos enfrentam. “O Instagram demorou para adicionar essa fonte, mas é uma mudança muito legal que vai favorecer a inclusão”, diz Simi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Next Post

Luísa Sonza confessa crush por Eduardo Sterblitch: 'Era crush master'

qua ago 12 , 2020
A cantora foi a convidada do ‘Sterblitch Não Tem um Talk Show: o Talk Show’ desta segunda, 10/8 Via Globo/Gshow Sempre alto astral, Luísa Sonza chegou chegando no Sterblitch Não Tem um Talk show: o talk show na segunda, 10/8. A cantora falou sobre a carreira e o progresso que teve ao longo dos […]