PF cumpre mandados em Sorriso (MT) e Cuiabá em operação contra tráfico interestadual de drogas

Investigados utilizavam nomes de empresas falsas, com suposta atuação em vendas pela internet, nas áreas de bijuterias e de suplementos alimentares.

Via G1

 Foto: Polícia Federal/Divulgação

A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira (25) a operação Insônia, com o objetivo de reprimir o tráfico interestadual de drogas, via postais. Estão sendo cumpridos um total de 48 mandados de busca e apreensão na Paraíba e nos estados de Minas Gerais, São Paulo, Mato Grosso, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Santa Catarina, Goiás, Pará, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro e Roraima.

Também estão sendo cumpridos dois mandados de prisão temporária e um mandado de prisão preventiva na cidade de Uberlândia, em Minas Gerais. As ordens judicias foram expedidas pela Vara de Entorpecentes de Campina Grande.

As investigações começaram há cerca de cinco meses, quando a Polícia Federal identificou que o grupo criminoso remeteu mais de 500 encomendas postais com a droga, conhecida popularmente como “ecstasy” ou “bala”.

O processo de investigação também apontou que a comercialização do entorpecente ocorria por meio de aplicativos de mensagens e tiveram como destinatários traficantes da cidade de Campina Grande, João Pessoa e municípios dos outros estados que são alvo da ação.

Outras cidades que foram destino para entrega das drogas:

  • Anápolis – Goiás
  • Uruaçu – Goiás
  • Araçatuba – São Paulo
  • Jaboticabal – São Paulo
  • Pirassununga – São Paulo
  • Votuporanga – São Paulo
  • Belo Horizonte – Minas Gerais
  • Coronel Fabriciano – Minas Gerais
  • Chapecó – Santa Catarina
  • Cuiabá – Mato Grosso
  • Sorriso – Mato Grosso
  • Guanambi – Bahia
  • Porto Seguro – Bahia
  • Macei – Alagoas
  • Natal – Rio Grande do Norte
  • Porto Alegre – Rio Grande do Sul
  • Recife – Pernambuco
  • Ribeirão Preto – São Paulo
  • Rio Branco – Acre
  • Rio de Janeiro – Rio de Janeiro
  • Rio Grande – Rio Grande do Sul
  • Santarém – Pará
  • Taguatinga – Amazonas

Os investigados, segundo a PF, utilizavam nomes de empresas falsas, com suposta atuação em vendas pela internet na área de bijuterias e de suplementos alimentares. Eles devem responder pelos crimes de tráfico interestadual de drogas e associação para o tráfico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Next Post

TSE cassa mandato de deputado do Paraná por infidelidade partidária

qui nov 25 , 2021
Evandro Roman exerce o cargo como primeiro suplente Via Agencia Brasil O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu hoje (25), por 4 votos a 3, cassar o mandato do deputado federal Evandro Roman (Patriotas-PR), por infidelidade partidária. A decisão tem efeito imediato. Evandro Roman exerce o cargo como primeiro suplente desde […]