Produtoras realizam primeira feira para comercialização de produtos da agricultura familiar

O evento foi realizado no Assentamento Tibagi que possui uma população acima de mil famílias rurais

Via Assessoria Empaer/MT

O evento contou com a participação de 80 produtores – Foto por: Extensionista | Empaer

Agricultores familiares do Assentamento Rural Tibagi, localizado no município de Brasnorte, realizaram no sábado (28.11), na Comunidade Vila Nova, a primeira feira da agricultura familiar e reunião para debater alternativas de renda e lucro, em especial para as mulheres rurais. O assentamento possui uma área de 115 mil hectares e 1.480 lotes, com no máximo 100 hectares por família. O evento contou com a participação de 80 produtores.

O engenheiro agrônomo da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural, Robson Vicente de Almeida Lobo, fala que no assentamento os agricultores trabalham com a pecuária de leite, corte, cultivo de soja, mandioca, maracujá e outros.  A produção de leite gira em torno de 15 mil litros por dia e o plantel bovino é de 90 mil cabeças. A cultura da soja ocupa uma área de plantio de 5 mil hectares.

O assentamento Tibagi possui uma população acima de mil famílias que estão divididas nas seguintes comunidades: Toca da Onça, Vila Boa Esperança, Vila Nova, Bom Futuro, Corgão e Novo Brasil (Santa Luzia). De acordo com Lobo, os técnicos da Empaer atuam nas comunidades há mais de 30 anos, prestando assistência técnica, levando novas tecnologias para aperfeiçoar os métodos de produção, e também com a extensão rural, que visa promover o desenvolvimento social e econômico do meio rural por meio da geração de renda e da agregação de valor aos produtos e serviços agrícolas.

Durante o evento, Robson proferiu palestra e abordou os temas: assistência técnica e extensão rural, associativismo, empreendedorismo, Serviço de Inspeção Municipal (SIM) e mudas frutíferas. Conforme Robson, a produtora rural Cristiane Paixão procurou o escritório da Empaer pedindo apoio para um projeto de geração de renda para as mulheres e jovens rurais. Algumas reuniões foram feitas e decidiram pela criação de uma feira no assentamento.

A primeira feira trouxe diversos produtos para comercialização, tais como doces, queijos, ovos, frutas, verduras, bolos, requeijão, pimenta, picles, artesanato e outros. A produtora rural Cristiane fala que a mobilização para a criação da feira surgiu da necessidade de garantir renda extra as mulheres.

“Diante do primeiro evento já decidimos que a feira poderá ser realizada a cada 15 dias, aos sábados. No futuro faremos toda semana. Esse é o jeito que encontramos para comercializar nossos produtos e ter uma renda extra para ajudar em casa”, explica Cristiane.

Participaram do evento representante do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Gilberto Rodrigues Nogueira, do Sistema de Crédito Cooperativo (Sicredi), André Barreto e outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Next Post

Batalhão Ambiental identifica crime ambiental em área de abate de frigorífico; embargo e multa de R$ 500 mil

ter dez 1 , 2020
Além do boletim de ocorrência foram emitidos autos de inspeção e infração, notificação, além da multa fixada no valor de R$ 500 mil Via Assessoria PMMT Uma equipe do Batalhão Ambiental em Barra do Bugres (a 168 km de Cuiabá) encaminhou à delegacia na segunda-feira (30.11), o gerente de um […]