Renovação de CNH em MT diminui em 25,8% após exigência de exame toxicológico

Mato Grosso é o segundo do país em que motoristas habilitados para o transporte de pessoas e cargas menos renovaram as carteiras.

Motorista diz que preço do exame dificulta renovação da carteira — Foto: TVCA/Reprodução

Mato Grosso teve uma redução de 25,8% no número de renovações de carteiras das categorias C, D e E, entre 2016 e 2019, conforme dados do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). O estado é o segundo do país em que motoristas habilitados para o transporte de pessoas e cargas menos renovaram as carteiras.

A redução ocorreu desde a exigência do exame toxicológico, em 2016.

Há três anos foram registradas 35,5 mil renovações, que diminuiu para 32,6 mil em 2017 e 29,5 mil, em 2018. Já no ano passado foram apenas 27,2 mil renovações.

O vice-presidente do Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores, Olmir Justino acredita que a redução não tem a ver com o exame.

“Se essa pessoa for usuário de drogas, ele não vai ficar seis meses sem usar para renovar a carteira dele. É porque ele realmente não faz uso de droga ou não tem isso como hábito”, avaliou.

Motorista diz que preço do exame dificulta renovação da carteira — Foto: TVCA/Reprodução
Motorista diz que preço do exame dificulta renovação da carteira — Foto: TVCA/Reprodução
Motorista diz que preço do exame dificulta renovação da carteira — Foto: TVCA/Reprodução

Para o motorista Gilson Rodrigues Malheiros, que trabalha como caminhoneiro há 25 anos, há outros fatores que dificultam a renovação, entre eles, o preço cobrado pelo exame.

Recentemente, ele fez o exame toxicológico exigido pela empresa para contratação dos motoristas.

“Estou entrando agora e tive que fazer. Daqui um ano tem que fazer de novo, pois isso é uma exigência. O último que fiz paguei R$ 300. Esse é um dinheiro a mais que deixa de entrar em casa”, disse.

Quem for flagrado dirigindo sem habilitação deverá pagar multa — Foto: Polícia Rodoviária Federal de MT
Quem for flagrado dirigindo sem habilitação deverá pagar multa — Foto: Polícia Rodoviária Federal de MT
Quem for flagrado dirigindo sem habilitação deverá pagar multa — Foto: Polícia Rodoviária Federal de MT

A gerente de ações educativas do Departamento Estadual de Trânsito (Dentran/MT), Rosane Gerda, explicou que esse exame é importante para garantir a segurança dos motoristas nas estradas.

“Precisamos garantir que os condutores estão aptos e não faz uso de drogas que afetem o sistema psicomotor e evite acidente”, disse.

Ser flagrado dirigindo sem CNH ou tiver com ela vencida é considerada uma infração gravíssima, segundo o presidente da Comissão de Direitos de Trânsito, Giovane Gualberto de Almeida .

“A legislação prevê multa e a penalidade administrativa de retenção do veículo até que seja apresentado um condutor habilitado e então são retirados sete pontos da habilitação”, explicou.

Fonte: https://g1.globo.com/mt/mato-grosso/noticia/2020/03/09/renovacao-de-cnh-em-mt-diminui-em-258percent-apos-exigencia-de-exame-toxicologico.ghtml

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Next Post

Cesáreas em Mato Grosso chegam a 62%

seg mar 9 , 2020
Enquanto a Organização Mundial da Saúde (OMS) estabelece em até 15% a proporção de partos cesáreas, em Mato Grosso esse percentual chega 62%, maior que a taxa nacional (56%). Dados do Ministério da Saúde (MS) mostram que desde 2015, o número de partos agendados no estado apresenta uma linha crescente, […]