Segundo o IBGE safra de grãos deve fechar 2020 com alta de 2,3%

Post por Claudemir via Agencia Brasil

Área colhida deve ser de 64,5 milhões de hectares, 2% acima de 2019

Armazém com soja recém-colhida em Sorriso (MT) 27/02/2008 REUTERS/Paulo Whitaker

A safra de cereais, leguminosas e oleaginosas deve fechar 2020 em 247 milhões de toneladas, 2,3% acima da produção de 2019, ou seja, 5,5 milhões de toneladas a mais. A estimativa de abril, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), é também 0,8% maior do que a previsão feita pela pesquisa de março (1,9 milhão de toneladas a mais).

A área colhida deve ser de 64,5 milhões de hectares, ou seja, 2% acima da área de 2019 e 0,2% acima da previsão de março.

Entre as principais lavouras de grãos do país, na comparação com 2019, são esperados aumentos de 6,7% na produção de soja (que deverá fechar o ano em 121 milhões de toneladas) e de 3,5% no arroz (10,6 milhões de toneladas). Estimam-se ainda altas de 5,9% na produção de sorgo e de 19,4% na produção de trigo.

Por outro lado, são esperadas quedas de 3,4% na produção do milho (97,1 milhões de toneladas) e de 2% no algodão herbáceo (6,8 milhões de toneladas). Também deve ter queda o feijão (-1,9%).

Outros produtos

Além dos grãos, o IBGE também faz estimativa para outros produtos importantes na matriz agrícola brasileira, como a cana-de-açúcar, que deve fechar o ano com produção de 670,6 milhões de toneladas (alta de 0,5% em relação a 2020) e o café, que deve ter produção de 3,46 milhões de toneladas (alta de 15,5%). Outros produtos com previsão de alta são laranja (4,4%) e uva (0,4%).

Por outro lado, são esperadas quedas na produção de banana (-3,8%), batata-inglesa (-2,1%), mandioca (-1,1%) e tomate (-4,8%).

Edição: Graça Adjuto

Por Vitor Abdala – Repórter da Agência Brasil – Rio de Janeiro

via Agencia Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Next Post

Fabricantes de carros admitem que preços vão subir, mas diz que decisão é das montadoras

ter maio 12 , 2020
Via Portal Fenabrave O fechamento de todas as fábricas de automóveis no Brasil e a instabilidade cambial devem causar aumentos nos preços dos automóveis. É o que afirma o presidente da Anfavea (Associação Nacional das Fabricantes de Veículos Automotores), Luiz Carlos Moraes. “É muito difícil segurar um aumento nos preços. […]