Humor e notícias com Tchó e Beppi: o agro em duas versões

Resumo das principais notícias do agronegócio, interpretadas por dois colonos que diariamente informam em 17 emissoras de rádio e agora querem dividir esses assuntos aqui.

Tchó e Beppi: resumo das principais notícias do agro

Bolsonaro anuncia agência bancária em Sorriso (MT) e diz que município produz mais soja que a França

(Via Só Notícias)

Foto: Frederico Mellado / ARG

O presidente da República, Jair Bolsonaro (Sem partido), e o presidente da Caixa Econômica Federal (CEF), Pedro Duarte Guimarães, anunciaram em sua live, no dia 28 de janeiro, a criação de uma agência da estatal em Sorriso (MT) voltada para o agronegócio. Outras quatro cidades de Mato Grosso também receberão agências. São elas: Canarana, Campo Novo do Parecis e Primavera do Leste.

“Vai ser a primeira vez que a Caixa vai ter agências focadas no agronegócio. (Sorriso) é uma agência específica para o agro. A gente quer aumentar nossa carteira agrícola de R$ 7 bilhões para R$ 40 bilhões.  Porque o agro é o coração da exportação brasileira”, disse o presidente da Caixa.

 Ao comentar a abertura da agência em Sorriso, Bolsonaro destacou o potencial agrícola do município. “Sorriso não tinha agência da Caixa? Então vai ter. É uma das cidades que mais produz no agro. Sorriso produz mais soja do que a França”, afirmou o presidente que, ano passado esteve em Sorriso no lançamento da safra de soja e em Sinop inaugurando uma usina de etanol.

No total, serão abertas 75 novas agências no país, a maioria nas regiões Norte e Nordeste. “É uma notícia muito positiva. A Caixa Econômica expandindo e atendendo o social. Então, em cidades acima de 40 mil habitantes que, porventura, ainda não tenham agência da Caixa, até o final do semestre, passarão a ter”, destacou Pedro Guimarães.

O anúncio da Caixa ocorre semanas depois de o Banco do Brasil divulgar que decidiu fechar 112 agências e 361 postos de atendimento e abrir um plano de demissão voluntária para adesão de até cinco mil funcionários. Em Mato Grosso, o BB planeja fechar sete agências em Várzea Grande, Cuiabá, Nortelândia, Alto Paraguai, Denise, Nobres e Rondonópolis. 

Governo autoriza plantio de soja experimental em MT

(Via G1/MT)

Plantio de soja experimental está autorizado em MT — Foto: Pixabay

Plantios excepcionais de soja fora do calendário de 16 de setembro a 31 de dezembro estão autorizados pelo Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea-MT), após a publicação da Instrução Normativa Conjunta Sedec/Indea-MT nº 01/2021, no Diário Oficial do Estado, nesta segunda-feira (1°).

A nova regra regulamenta plantios para pesquisas de produção de conhecimento técnico ou científico, limitados à área de cinco hectares, podendo a soma de todos os plantios autorizados ficar limitada a 100 hectares por instituição de pesquisa por ano.

De acordo com o Indea-MT, a norma traz ainda, para estes plantios, a limitação para se colher a soja excepcionalmente autorizada até 14 de junho, ou seja, antes do início do vazio sanitário.

Segundo a Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja), assim como a criação do vazio sanitário da soja, essa Instrução Normativa também é um marco fitossanitário no estado, já que se alinha com o Programa Nacional de Controle da Ferrugem Asiática da Soja (PNCFS), estabelecido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) em 2007, bem como fomenta o desenvolvimento científico para a busca do melhor manejo e controle do fungo da doença.

A Associação diz ainda que outra inovação positiva da Instrução Normativa é o fato dos plantios excepcionais para pesquisa científica para melhoramento genético, e avanço de gerações de linhagens de soja terem de ser colhidos até 31 de julho.

Sorriso colheu 9,9% da área plantada e expectativa é 60 sacas por hectare

(Via Só Noticias)

Colheitadeira – Imagem: divulgação

Até o dia 03 de fevereiro, Sorriso (MT) já havia colhido 9,9% dos mais de 600 mil hectares de soja plantados da safra 2020/2021 com uma média de produtividade de 60 sacas, segundo o presidente do Sindicato Rural de Sorriso, Silvano Filipetto.

A estimativa para este ano é 2,1 milhões toneladas, no município campeão nacional na produção da oleaginosa.

“É uma média ponderada. Foi feita entrevista com 5% dos produtores que fazem o cultivo. Temos uns com 37, outros com até 74 sacas por hectares. É uma média de 60 sacas levando em consideração os números. O resultado é considerado positivo”, disse Filipetto, em entrevista

Agropecuária tem maior geração de empregos dos últimos 10 anos

(Via Canal Rural)

Imagem: divulgação

A agropecuária brasileira abriu 61.637 vagas de emprego no ano passado, de acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados pela Secretaria do Trabalho. Esse é o melhor resultado desde 2011, quando a expansão no mercado de trabalho do setor foi de 85.585 vagas.

Entre as atividades que mais criaram postos com carteira assinada em 2020, a soja liderou o ranking, com 13.396 vagas. Destaque também para o café (6.284 novos postos). Na pecuária, a criação de bovinos (+11.598) e de aves (+5.993) foram as atividades que mais contribuíram para o mercado de trabalho.

Ainda de acordo com os dados, 3 em cada 4 vagas foram criadas no setor agropecuário estão na região Sudeste, especialmente em São Paulo, que teve crescimento de 46.475 postos de trabalho em 2020.

Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) analisou os dados do Caged e ressalta que os bons resultados revelam o dinamismo do setor em 2020. “Apesar da alta dos custos de produção, tem demonstrado resiliência frente à crise”, afirma a entidade.

Em termos macro, o setor como um todo apresentou desempenho destacado em 2020: recorde de US$ 100,8 bilhões em exportações de produtos do agronegócio, crescimento de 18,2% no valor bruto da produção, segundo a CNA, e alta de 16,8% do PIB do agronegócio nos 10 primeiros meses do ano, segundo CNA e Cepea.

OAB-MT pede ao Governo do Estado a suspensão da consulta pública sobre zoneamento socioeconômico

(Via Assessoria OAB/MT)

Mapa de MT – Foto: @internet

A Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Mato Grosso (OAB-MT) solicitou ao Governo do Estado a suspensão da Consulta Pública Preliminar do Zoneamento Socioeconômico Ecológico do Estado de Mato Grosso (ZSEE), que esta aberta até dia 16 de fevereiro.

Outras entidades da sociedade civil organizada também requereram a suspensão. O zoneamento norteia decisões de agentes públicos e privados no que diz respeito a planos, programas, projetos e atividades, que direta ou indiretamente utilizem recursos naturais. Para isso, determina restrições assegurando a plena manutenção do capital e dos serviços ambientais e dos ecossistemas.

 O presidente da Ordem, Leonardo Campos, lembra que uma proposta de ZSEE foi encaminhada à Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) em 2008. Contudo, após a realização de uma série de seminários técnicos e audiências públicas, em 2011 foi apresentado um substitutivo ao projeto original. 

 “Ao analisarmos este novo documento constatamos que as alterações debatidas e aprovadas em 2011, quando da elaboração do substitutivo, não foram levadas em consideração. Isso nos causa grande preocupação, uma vez que pode gerar grande impacto aos setores produtivos e a sociedade como um todo”, afirma.

  Já a presidente da Comissão de Direito Ambiental da OAB-MT, Renata Viviane da Silva, explica que a elaboração do Zoneamento é complexa e necessita de vasto estudo para que haja integração entre políticas públicas, gestão territorial e de políticas setoriais com impactos no ordenamento e uso do território.

  “A proposta precisa promover a conciliação entre preservação, produção, economia, desenvolvimento humano e dos municípios. Sem isso, o ZSEE pode trazer prejuízos ao Estado. Assim, é preciso que o Governo considere os estudos técnicos que culminaram no substitutivo, submetendo-os também a especialistas de renome nacional. ”

Banco do Brasil anuncia abertura de 14 agências voltadas para o agronegócio

(Via Canal Rural/Agencia Brasil)

Agencia do Banco do Brasil- Foto: Governo Federal

Os produtores rurais de seis estados poderão contar com atendimento especializado do Banco do Brasil (BB). Até o fim de março, a instituição financeira abrirá 14 agências voltadas para o agronegócio.

As novas agências funcionarão nas seguintes cidades: Rio Verde (GO), Sorriso (MT), Dourados (MS), Cascavel (PR), Maringá (PR), Londrina (PR), Ponta Grossa (PR), Ijuí (RS), Santa Maria (RS), Passo Fundo (RS), Araçatuba (SP), Presidente Prudente (SP), Ribeirão Preto (SP) e Franca (SP).

Atualmente, o BB tem quatro agências do tipo: em Goiânia, Uberlândia (MG), Campo Grande (MS) e Campo Mourão (PR).

O Banco do Brasil também intensificará o atendimento por gerentes especializados em agronegócio, com o reforço de 276 profissionais voltados para o setor. Segundo a instituição financeira, o número de clientes com atendimento especializado saltará de 158 mil para 227 mil.

Atualmente, o BB concentra 55,2% do crédito rural no país. Até setembro, segundo os dados mais recentes, o total de crédito do banco voltado para o agronegócio somava R$ 190,5 bilhões corresponde a 26% da carteira de crédito total da instituição. Nos 12 meses terminados em setembro, o volume de crédito rural cresceu 4,2%.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Next Post

Pagamentos com cartões movimentam R$ 2 trilhões em 2020, diz Abecs

ter fev 9 , 2021
Crescimento foi de 8,2% na comparação com o ano anterior Via Agencia Brasil Os pagamentos feitos pelos brasileiros com cartões de crédito, débito e pré-pagos chegaram aos R$ 2 trilhões em 2020, o que corresponde a um crescimento de 8,2% na comparação com o ano anterior, segundo balanço divulgado hoje (9) pela […]